Quarta-feira, 22 de Agosto de 2007

Bolero do Coronel Sensível...

   
    caricatura de Miguel Soares
  
  
   Para além da qualidade da sua obra, que o torna indiscutivelmente num dos maiores escritores portugueses contemporâneos e num dos grandes a nível mundial, retenho de António Lobo Antunes, a sua irascibilidade, o seu ar de permanente má disposição, como se estivesse de mal com o mundo por querer abraçar toda a gente e não conseguir fazê-lo a ninguém, e desta coisa deliciosa que se dá pelo nome de «Bolero do Coronel Sensível que fez amor em Monsanto», do qual só há relativamente pouco tempo tomei conhecimento, estando longe de imaginar, com esta lacuna minha, das incursões de Lobo Antunes por estes tão reconfortantes territórios.
 
   Bolero do Coronel Sensível que fez amor em Monsanto
  
   Eu que me comovo
   Por tudo e por nada
   Deixei-te parada
   Na berma da estrada
   Usei o teu corpo
   Paguei o teu preço
   Esqueci o teu nome
   Limpei-me com o lenço
   Olhei-te a cintura
   De pé no alcatrão
   Levantei-te as saias
   Deitei-te no banco
   Num bosque de faias
   De mala na mão
   Nem sequer falaste
   Nem sequer beijaste
   Nem sequer gemeste,
   Mordeste, abraçaste
   Quinhentos escudos
   Foi o que disseste
   Tinhas quinze anos
   Dezasseis, dezassete
   Cheiravas a mato
   À sopa dos pobres
   A infância sem quarto
   A suor, a chiclete
   Saíste do carro
   Alisando a blusa
   Espiei da janela
   Rosto de aguarela
   Coxa em semifusa
   Soltei o travão
   Voltei para casa
   De chaves na mão
   Sobrancelha em asa
   Disse: fiz serão
   Ao filho e à mulher
   Repeti a fruta
   Acabei a ceia
   Larguei o talher
   Estendi-me na cama
   De ouvido à escuta
   E perna cruzada
   Que de olhos em chama
   Só tinha na ideia
   Teu corpo parado
   Na berma da estrada
   Eu que me comovo
   Por tudo e por nada
  
    (Lobo Antunes)
 
publicado por jdc às 12:02
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De ruben a 25 de Agosto de 2007 às 02:10
gosto particularmente deste poema de Lobo Antunes , só que os coroneis sensíveis não vão fazer amor ao monsanto; é, isso é pura ingenuidade dele. os nossos heróis vão fazer amor ao elefante branco juntamente com a classe politica dirigente , a magistratura e a alta burguesia, etc, etc, etc. tenho pena mas é verdade, eu já lá os vi!!!!!!!!!!

Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 1 seguidor

.pesquisar

.Outubro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Myanmar Livre

. As Palavras Escapam-se-me...

. O Suaíli

. Assim Não Quero Ser!

. A Poesia do Silêncio

. El Tigre

. Kopi Luwak

. Diálogos à solta (4)

. É agora, Zé!

. O Que é o TENORI-ON

.arquivos

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds